Análise Fórmula 1 2021 - Silverstone - GP da Grã-Bretanha

Análise Fórmula 1 2021 - Silverstone - GP da Grã-Bretanha

13 de Julho de 2021

A próxima etapa da Fórmula 1 será no circuito de Silverstone, na Grã-Bretanha. A corrida vai acontecer após uma semana de folga depois do GP da Austrália ser cancelado por conta da pandemia. Sendo o segundo ano seguido que o país não recebe a competição.

O confronto marca uma oportunidade para a Mercedes de Lewis Hamilton se reerguer em casa. Enquanto isso, a Red Bull deve seguir tentando desbancar o heptacampeão com Verstappen. Além disso, terá o início das corridas sprint e a Pirelli fornecerá novos pneus.

A temporada da Red Bull e de Max Verstappen

A grande surpresa da temporada tem sido o piloto de apenas 23 anos. Ele tem travado um duelo pessoal com o automobilista inglês e conquistou 4 vitórias nas últimas 5 etapas. Assim, atualmente tem 32 pontos de vantagem na classificação geral.

O competidor só não levou o caneco dessas cinco corridas porque seu pneu estourou em Azerbaijão. Mas, Sérgio Perez, seu companheiro de equipe, conseguiu garantir essa vitória para a Red Bull. Hoje em dia seu carro é considerado o melhor para qualquer tipo de pista:

  • Curvas lentas e velozes;
  • Retas longas;
  • Carga aerodinâmica regulada;
  • Gerenciamento de pneus.

Somando todos os componentes têm vencido mesmo em GP onde não foi considerada favorita. Portanto, deve ser mais um desafio para as concorrentes tentar superar o veículo na Grã-Bretanha.

Esperança de título

Caso Verstappen conquiste mais uma vitória, terá no mínimo 38 pontos à frente. Assim, a Red Bull pode começar a se considerar a única favorita ao título da competição. Sendo que este, será o seu primeiro em 8 anos de história da Fórmula 1.

O bom desempenho vem de atualizações certeiras que vêm sendo feitas no carro em 2021. Uma estratégia arriscada para o ano seguinte, já que terá que manter o que foi feito agora – regras da competição.

Verstappen é o favorito da aposta esportiva para vencer essa corrida. O piloto ao longo de toda temporada teve o seguinte desempenho:

  • Bahrein – 18 pontos – 2º lugar;
  • Emilia-Romagna – 25 pontos – 1º lugar;
  • Portugal – 18 pontos – 2º lugar;
  • Espanha – 19 pontos – 2º lugar;
  • Monaco – 25 pontos – 1º lugar;
  • França – 26 pontos – 1º lugar;
  • Steiermark – 25 pontos – 1º lugar;
  • Áustria – 26 pontos – 1º lugar.

A temporada da Mercedes e de Lewis Hamilton

A Mercedes vive um momento tenso, sabe que caso não vença em Silverstone pode não ter mais chances. Esse ano tem sido complexo devido a mudanças nas normas que afetaram seu carro. Assim, essa deve ser a última temporada do modelo atual nas pistas.

Quando a equipe fez corte no assoalho para diminuir o downforce acabou tendo problemas na traseira. Assim seu bólido precisou ser reconstruído e o veículo não conseguiu ter um desempenho incrível.

Hoje em dia a Mercedes tem se preocupado em trabalhar o carro para o próximo ano. Portanto, emprega os esforços mínimos para se manter competitiva nessa temporada, o que se reflete na falta de pódios. 

Para o GP da Inglaterra deve fazer sua última grande atualização da temporada. Ela espera que seja suficiente para diminuir a vantagem para a rival e se coloque como uma das concorrentes ao título.

Como anda o piloto

Essa pista pode marcar a retomada de Lewis Hamilton, que já tem grande identificação com ela por ser britânico. Mas o piloto sabe que as mudanças no carro vão ajudar, sem reduzir para zero a diferença. Será preciso muito empenho para superar os adversários esse ano.

O automobilista só conquistou três vitórias na temporada e esteve presente em 6 pódios. Sendo uma campanha pouco comum para quem esteve no topo por 7 anos batendo vários recordes.

Na última corrida, conquistou apenas a 4ª posição e permitiu que Verstappen tivesse 14 pontos a mais. São 150 pontos em 6 pódios, números bons, mas que não garantem o título. Portanto, sabe da importância de vencer em casa e continuar na briga para ser campeão.

As corridas sprint

O GP da Grã-Bretanha traz como novidade as corridas sprint. Ela será realizada no sábado, dia 17, e seu intuito é definir o grid de largada. Assim, será uma competição mais curta com um terço de duração da prova oficial e contará pontos para o campeonato.

Esse formato vai se repetir na Itália e em alguma prova fora da Europa. Isso pretende atrair mais espectadores para todos os dias da competição e fazer com que ela tenha mais disputa. Caso seja aprovado, deve ser instaurado para todas as etapas do ano que vem.

Como fica a programação

Seu grid será definido na sexta-feira por meio de uma classificatória à tarde. Com isso, os dias na pista serão lotados no período da manhã e tarde. Dessa forma o cronograma do torneio da Grã-Bretanha será o seguinte:

  • Sexta-feira (16/07) – Treino livre – 10h30;
  • Sexta-feira (16/07) – Treino Classificatório – 14h;
  • Sábado (17/07) – Treino livre 2 – 08h;
  • Sábado (17/07) – Corrida Sprint – 12h30;
  • Domingo (18/07) – Corrida – 11h.

Os treinos livres passam de três para apenas dois e os amantes de corrida ganham mais uma para assistir. Com isso, os pilotos terão que se preparar para ser competitivos em três dias e não em apenas dois. 

As mudanças na forma de se classificar devem melhorar o desempenho de todos e promover mudanças nos carros. Além disso, vão oferecer aos automobilistas mais contato com o público, aumentando o interesse pelo esporte. 

Os novos pneus da Pirelli

A empresa que fornece pneus já anunciou que para essa corrida fornecerá pneus diferentes. Os pilotos já testaram os novos modelos que são mais robustos e resistentes. Isso para evitar que problemas de explosão do item voltem a acontecer nas disputas.

Neste ano os automobilistas Verstappen e Lance Stroll sofreram com essa situação em Baku. Portanto, a marca foi obrigada a realizar mudanças que dessem mais segurança para continuar sendo a oficial da Fórmula 1.

Em um esporte onde as alterações nos carros são cruciais para o bom desempenho, os pneus precisam estar de acordo. Logo, essas mudanças trazem bastante expectativas sobre o futuro dos veículos na competição.

Classificação atual

Verstappen tem 32 pontos a mais que Hamilton, uma vantagem ampla que pretende ser ampliada. Se conseguir vencer a disputa na Inglaterra, mesmo que seu oponente fique em segundo lugar, conquistará 38 pontos a mais. 

Com 13 corridas no futuro, será difícil para a Mercedes se recuperar para brigar pelo título. Por isso, essa corrida tem sido encarada como a principal chance da equipe na temporada. Já que tem uma ampla torcida a seu favor na Grã-Bretanha e costuma se sair bem na pista.

Para isso precisa apresentar um carro que tenha evolução e se torne mais competitivo. Logo, as alterações prometidas para o circuito tem sido muito especuladas pelas concorrentes. Mas, acredita-se que as principais delas sejam no imbróglio da parte traseira.

Caso aconteça o mesmo que na França e na Áustria, a Red Bull deve abrir larga vantagem. Pois, seu veículo tem se mostrado o melhor da competição e parece estar evoluindo a cada disputa em que participa. 

Hoje em dia, só as duas parecem ter meio para vencer a competição deste ano. A classificação atual da Fórmula 1 está da seguinte maneira:

  • M. Verstappen – Red Bull – 182;
  • L. Hamilton – Mercedes – 150;
  • S. Perez – Red Bull – 104;
  • L. Norris – McLaren – 101;
  • V. Bottas – Mercedes – 92;
  • C. Leclerc – Ferrari – 62;
  • C. Sainz Jr. – Ferrari – 60;
  • D. Ricciardo – McLaren – 40;
  • P. Gasly – Alpha Tauri – 39;
  • S. Vettel – Aston Martin – 30;
  • F. Alonso – Alpine – 20;
  • L. Stroll – Aston Martin – 14;
  • E. Ocon – Alpine – 12;
  • Y. Tsunoda – Alpha Tauri – 9;
  • K. Raikkonen – Alfa Romeo – 1;
  • A. Giovinazzi – Alfa Romeo – 1;
  • G. Russel – Williams – 0;
  • M. Schumacher – Hass – 0;
  • N. Mazepin – Hass – 0;
  • N. Latifi – Williams – 0.

O que deixa a equipe de Verstappen à frente da concorrente, já que são 286 pontos somados. Enquanto isso, a Mercedes teve 242 em todos disputados, o que tem incomodado toda a sua direção. 

As reclamações de fraudes esse ano são imensas, mas por hora nada foi encontrado. Portanto, o campeonato segue de forma regular, sem demonstrar nenhum uso indevido nos veículos apresentados. 

Prognóstico para a corrida

É esperado que com a melhora em seu carro, Lewis Hamilton se torne mais competitivo. Porém Verstappen tem feito uma temporada regular que deve se manter nessa corrida, o que o torna favorito a vencer.

As inovações da corrida sprint e dos novos pneus devem favorecer a Red Bull. Pois, ela já tem um ótimo automóvel que deve ter sua performance ampliada com as novas possibilidades.

Já a Mercedes compete na casa de seu principal piloto e trará algumas mudanças. O que pode deixá-la mais interessante para o final da temporada. Com isso, o circuito se torna um dos mais concorridos da temporada.  As odds para a pista da Grã-Bretanha são:

  • M. Verstappen – 1.67;
  • L. Hamilton – 2.70;
  • S. Perez – 13.00;
  • V. Bottas – 13.00;
  • L. Norris – 41.00;
  • C. Leclerc – 64.00;
  • C. Sainz Jr. – 81.00;
  • G. Russel – 101.00;
  • D. Ricciardo – 126.00;
  • P. Gasly -126.00;
  • S. Vettel – 501.00;
  • F. Alonso – 501.00;
  • L. Stroll – 501.00;
  • E. Ocon – 501.00;
  • Y. Tsunoda – 501.00;
  • K. Raikkonen – 501.00;
  • A. Giovinazzi – 501.00;
  • M. Schumacher – 501.00;
  • N. Mazepin – 501.00;
  • N. Latifi – 501.00.