LDU 2020 - Análise Copa Libertadores

LDU 2020 - Análise Copa Libertadores

31 de Março de 2020

Fora o grupo C, o grupo D onde está a LDU se mostra bastante equilibrado, posto que todos os times possuem 1 vitória. Depois de vencer o River Plate, o time equatoriano tem uma derrota para o São Paulo.

Tradicionalismo do manto equatoriano

O último título da Libertadores da LDU foi em 2008, conquistado sobre o Fluminense. Mesmo depois de 12 anos se levantar a taça da competição, o time já soma 19 participações na copa.

Apesar do triunfo contra o tricolor carioca, foi a única final disputada pela LDU, além de ser bastante árdua. Mesmo emplacando 4 a 2 em casa, no jogo de volta no Maracanã o time perdeu por 3 a 1. Após uma acirrada disputa, se consagrou campeão nos pênaltis.

As outras participações da equipe foram mais discretas, pois fora a final, a equipe só chegou 2 vezes nas semifinais. Enquanto que nas demais participações, não passou das quartas, ou mesmo da fase de grupos.

Independente dos seus resultados, time é tradicional tanto na Libertadores como em competições nacionais. Tanto a conquista da vaga para 2020 se deu pela conquista do vice-campeonato nacional contra o Delfin.

Elenco experiente

Mesmo com uma derrota para o São Paulo por 3 a 0, devemos lembrar que o time venceu o River Plate pelo mesmo placar. 

Assim, ao analisarmos a LDU no jogo que venceu, notadamente temos um time bastante organizado. Além disso, o elenco é bem versátil e conta com jogadores criativos.

A organização da LDU se dá pelas suas peças experientes, tais como: 

  • Villarruel
  • Valencia
  • Sornoza
  • Caicedo. Logo, técnica a equipe equatoriana tem de sobra.

Apesar dos 34 anos de idade, Antonio Valencia tem carregado o time, e domina o meio campo da LDU. Entretanto, o jogador que tem mais chamado a atenção é seu atacante Cristian Borja. Aos 32 anos, o atacante nunca teve fama de goleador, mas nesta temporada já marcou 9 gols em 7 jogos.

Comando duradouro

O leme do navio LDU está nas mãos de Pablo Repetto, que comanda a equipe desde 2017. Sendo que neste período de 4 anos, soma 141 jogos, com quase 50% de aproveitamento, anotando 240 gols e sofrendo 162.

O técnico gosta muito de colocar seu elenco para atacar pelas laterais, mas costuma ir pra cima apenas dentro de casa. 

Quando o jogo é fora, o time é de fama retranqueira, e fica no aguardo do contra-ataque. Ou seja, se bobear até o Repetto entra na área para defender.

Como vem a LDU para a Libertadores

A LDU possui apenas 1 título da competição, e acumula poucas finais, entretanto é bem tradicional. Apesar de ter ganho do River Plate, deslizou contra o São Paulo.

Apesar de ter um ataque criativo e bastante técnico, a LDU não possui um grande goleador na equipe, e peca nas finalizações. Além disso, um dos fatores que levou a perder do tricolor paulista foi o fato de possuir uma zaga lenta.

Entretanto, o time é taticamente bem organizado por Repetto, que conta com suas peças chaves no elenco. Mesmo assim, a LDU desde 2019 sofre gols quase que em todos os jogos, e por isso a defesa tem sido explorada pelos adversários.