Binacional 2020 - Análise Copa Libertadores

Binacional 2020 - Análise Copa Libertadores

31 de Março de 2020

Uma das novidades na Libertadores é a Escuela Municipal Binacional. Logo na estreia, calou muitos entusiastas que o chamavam de time de interclasse, e bateu o São Paulo em casa.

Sensação peruana

O Binacional é o atual campeão peruano, e além do título conquistou uma vaga para a Libertadores. Porém, deu o azar de cair no grupo da morte da competição, a qual é composta por:

  • São Paulo
  • River Plate
  • LDU

Atual campeão em seu país, o time completa em 2020 seus 10 anos de existência, sendo o mais novo da competição. Além disso, o time impressionou em 2019, vencendo 20 jogos dos 38 disputados.

Durante a campanha, o time marcou 80 tentos e sofreu apenas 45 , perdendo apenas 11 jogos em 2019. Também vale destacar que o Binacional ficou invicto dentro de casa, e tem o estádio como seu amuleto.

O Binacional em 2020

Para a atual temporada, o time mexeu e muito em seu elenco, começando pelo técnico, sendo atualmente Flabio Torres. Entretanto, o colombiano já é o terceiro a assumir a equipe em 2020. Sendo assim, o time tem uma média de 1 treinador por mês só neste ano.

É a primeira vez que Torres assume uma equipe que não seja colombiana, porém só passou por times medianos:

  • Once Caldas
  • Cucuta
  • Deportivo Pasto
  • Bucaramanga

Não só na comissão técnica, mas também o elenco sofreu algumas alterações, porém Torres preferiu não mexer na escalação. Isso para manter o jogo de fatores chave do time, como o ataque veloz de Andy Polar pela esquerda.

Além de Polar, Reimond Manco e Johan Arango formam o trio de armação do Binacional, com muita velocidade pelas pontas. Também vale dizer que as jogadas pelas laterais foram determinantes para o título, e deve ser usada em 2020.

Toda essa agilidade pelas pontas tem como único objetivo colocar a bola nos pés de Marco Rodríguez. Este que foi peça chave para o título com seus 1,90 m, e já marcou 6 tentos em 9 jogos só em 2020. Devido ao fator altura, o jogador pode surpreender nos cruzamentos.

Experiência do caçula

Apesar de ser um time bastante jovem, com sequer 10 anos completos, deve-se respeitar. Afinal, campeão nacional é campeão nacional, e isso é indiscutível. Além disso, o Binacional já preocupa o grupo da morte com seu fator surpresa e velocidade, principalmente quando jogar dentro de casa.

Entretanto, o time tem alguns pontos a serem trabalhados, como um fator comum entre as equipes peruanas. Para quem já acompanha o torneio, sabe como essas equipes pecam na zaga, deixando-a bastante espaçada. Logo, como o Binacional não é diferente, e isso será explorado.

Incógnita na Libertadores

Logo na estreia, o Binacional não se intimidou e abateu o 3 vezes campeão do torneio, o São Paulo. Para isso, utilizou o fator altitude a seu favor, e um tricolor muito desorganizado em campo, para não dizer perdido.

A vitória por 2 a 1 logo no primeiro confronto contra um dos times mais tradicionais da Libertadores chamou a atenção. Porém, pode ter sido apenas um alarme falso, pois logo sofreu um atropelo de 8 a 0 do caminhão River Plate.

Mesmo com uma goleada histórica logo na primeira participação no confronto, o Binacional ainda pode surpreender. Isso porque a Libertadores acabou de começar, e temos um grupo com 4 campeões e todos empatados com 3 pontos cada.